Total de visualizações de página

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Carmen da Silva Xavier (Da.)

***

Fotos: Jornal LEOPOLDINENSE

Fevereiro, 2001

Da. Carmem da Silva Xavier nasceu em Leopoldina, Minas Gerais, no dia 15 de Janeiro de 1890, mais precisamente no distrito de Tebas, situado a doze quilômetros da sede do município, à margem da rodovia que liga Leopoldina a Juiz de Fora.

Filha de Antônio e Albina da Silva Xavier, Da. Carmen era prima em quarto grau do mártir da Inconfidência Mineira e patrono cívico do Brasil, Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes, e, comprovadamente, a última “Silva Xavier” a conservar o glorioso sobrenome.

Organista e poetisa, era formada em psicologia, ministrava aulas de piano e para o ensino fundamental. Tendo deixado o arraial de Tebas, no ano de 1913, passou a residir em Leopoldina onde lecionou, por 45 anos, o piano e todas as matérias programadas para admissão ao ginásio

Publicou versos em revistas e jornais de Leopoldina e editou, por conta própria, um livro denominado “Flores Esparsas”, no qual, à página 2, está o poema “Morte”, com a seguinte quadra, transcrita pela Gazeta de Leopoldina, de 17 de fevereiro de 2001:

“Morte! Espectro lúgubre, sombrio
Que sempre nos vigia os passos
E arrebatas estes com gesto frio
Levando todos seguros nos teus braços”.

Da. Carmen foi uma das fundadoras da Igreja Metodista, em Leopoldina, erguida no terreno de sua própria casa, na Rua Manoel Lobato, 88, Bairro da Grama.

Solteira, não teve filhos. Viveu os últimos trinta anos de sua longa existência em companhia da família do senhor Jaime Venâncio Guida, na Rua João Gualberto, 29.

Faleceu em 11 de Fevereiro de 2001, aos 111 anos. Como afirmado pela Gazeta de Leopoldina, em nota por ocasião de seu falecimento, foi “uma das figuras mais queridas da história de Leopoldina”.

E, certamente, das mais ilustres que por aqui nasceram e viveram.
                                                                                                                                                                                                                                                                
₪₪₪₪₪₪₪₪₪₪₪

2 comentários:

  1. Que saudade! Eu tivie o privilegio de conhece-la.

    ResponderExcluir
  2. Dona Carmen da Silva Xavier, descendente do único herói brasileiro, Tiradentes, ela deu aula pra mim em 1961, quando fiz a primeira série ginasial no Colégio Botelho Reis de Leopoldina-MG, deste modo, parabéns José do Carmo, por manter viva a memória desta grande mulher que viveu 111 anos bem vividos, saudades da minha professora de artes.

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.