Total de visualizações de página

sábado, 14 de agosto de 2010

Tomando Algumas

***
-Olha, duma coisa eu não abro mão, cara. Pra mim, é uma questã de absoluto: cerveja tem que ser antártica. O resto é xixi de pombo.

-Rá, rá, rá! Táis com nada, gente boa. Duas coisas os americanos ainda não inventaram: é avicultura com bexiga e cerveja melhor que a brama. Ainda vale o velho ditado: ela tem “o melhor lupo, o melhor esmalte e o melhor fermento”.


-Velho o ditado é. Do tempo em que o Pagodinho só mamava mingau de maizena. Eu prefiro a antártica. Tem o buquê que faz ela descer redonda, entende.


-Que isso, ô meu? Buquê é frescura de bacano entendido de vinho. Esse negócio de descer redondo, que eles falam, é da skol. Não troca as bolas.


-Tô nem aí pra essas palhaçadas da publicidade. Tudo lavagem cerebral que, aliás, é crime de tapeação enganosa no código do consumidor. Se quer saber, a coca-cola, que é dona da skol, gasta uma nota preta em propaganda.


-Troca as bolas não, malandro. A kaizer é que é da coca-cola. Lembra que tinha até um baixinho no mictório? Sumiu, né. Matar ele, acho que não mataram, porque não deu no Linha Direta! Hilário o sujeitinho! Onde já se viu propaganda de cerveja focada no mijo do produto! Ô loco! Tinha que mostrar a loura da ampola é sendo degustada numa praia, com aquela pá de mulher azarando. Mictório? Tem dó.


- Esse pessoal da ambev é burro.


-Mas quem te falou que a kaizer é da ambev? Brama e antártica é que são da ambev, ô Mané! E parece que desapropriaram também aquela kronembergue, aí de fora. Falam que ela entrou no Brasil na onda deles venderem nosso guaraná pros gringos. Só mesmo brasileiro! Achar que gringo vai beber guaraná naquele clima deles, de zero grau centímetro...


-Tão certos de não beber, sabia? Cê já leu, no rótulo do guaraná, a proporção da fruta do rio amazonas que entra? Apenas 0,013%, cara pálida! Só pra dar nome. O resto é química. Teu fígado que se vire. Dá pra sacar o que é 0,013%? É treze vezes menor do que um vigésimo, ô meu! Só quem não bebe tem essa noção.


-Num bebe água, né?


Quer saber? Tanto na América como nos países tropicais da Europa, o povo se amarra mais no sabor “cola”. Pra eles, se tem gosto de fruta é fanta! Fanta isto, fanta aquilo... Manjas um pé de fanta? Bom, vai ver existe.

-O Brasil não faz refrigerante “cola”. Eles não deixam. Tem direito autoral registrado na polícia, no cartório do registro de imóveis, os cambau. Não tem pra sapo, bagulho deles eles defendem.


-Pô, corta essa de refrigerante. Me dá gastura na boca do estômago. Outra cerveja legal era a boemia, feita na serra de Petrópolis. Lembra dela?


-Lembro. Boa pra caraca! O Nelson Gonçalves fazia a propaganda dela.


-Sabe por que era boa? Cerveja depende muito da água do local onde ela é destilada. Tem que ser água de mina ou de cachoeira...


-Veja essa tal de skin dos paulistas. Num dá, né. De onde será que eles pegam a água?


-Xi, nem fala, cara! Rolou até uma bronca com os donos da fábrica só porque não pagaram o IPTU do produto.


-IPTU de cerveja? Parece que bebe, malandro! IPTU é imposto de automóvel.


-Tá certo, eu é que bebo...

₪₪₪₪₪₪₪₪₪₪₪

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.