Total de visualizações de página

sexta-feira, 12 de março de 2010

Judith Lintz Guedes Machado


Foto: Da. Judith, década de 1950.

A professora Judith Lintz Guedes Machado inscreve-se entre as mais célebres figuras do magistério leopoldinense. Professora de português, no Colégio São José e no antigo Gymnásio (hoje Escola Estadual Professor Botelho Reis) por longos anos, tornou-se, pela seriedade de seu trabalho, pelo seu inegável talento e carinho com os alunos, uma mestra inesquecível.

Provinha de uma família de educadores. As irmãs, Alaíde e Calíope foram também professoras e, com Judith, fundadoras do tradicional Colégio São José, hoje extinto, que sempre funcionou no prédio da família, à Rua Barão de Cotegipe, 101, em Leopoldina. Não obstante, todos os sete irmãos de Da. Judith estiveram, de alguma maneira, ligados a atividades culturais em Leopoldina.

Judith Lintz, a “Da. Judith”, como era conhecida por seus alunos, nasceu na cidade de Aiuruoca, Minas Gerais, aos 19 de abril de 1897, tendo falecido em Leopoldina no dia 09 de março de 1990. Cumpriu, portanto, quase um século de dedicação à família e à educação.

Era filha do Dr. José Martiniano Barroso, que fora diretor do Grupo Escolar Ribeiro Junqueira, até o ano de 1923, quando teve morte prematura, e de Da. Ignácia de Souza Lintz.

Em sua vida docente, lecionou, além de Língua Portuguesa, Moral e Cívica e História.

Casou-se em Leopoldina, aos 19 de janeiro de 1939, com seu colega de magistério, o professor Joaquim Guedes Machado, em segundas núpcias deste.

Machado enviuvara-se de Laura Barroso Machado (Laura Lambert, nome de solteira), com quem tivera cinco filhos: Luís Fernando, Joaquim, José, Cecília e Aristides.

Da. Judith esteve casada com o Prof. Machado por 35 anos, até o falecimento deste em 28 de maio de 1974. Dessa união são as filhas, Therezinha Lintz Guedes Machado, professora de matemática, e ex-funcionária da ONU em Genebra, Suiça; e Maria Aparecida Lintz Machado Silva, professora de português - ambas aposentadas e residentes em Leopoldina.

Foi, Da. Judith Lintz, uma mulher ativa e estudiosa. Gostava de piano e de leitura. Costumava dizer que "para se afastar da solidão bastava ter Deus no coração, pessoas sinceras ao lado e um bom livro nas mãos”. Tinha como suas marcas mais evidentes a simplicidade nos gestos, a bondade e um ostensivo carinho por seus alunos.

Pela importância e expressão de seu nome na história do magistério leopoldinense, ele é hoje designação de um importante educandário inaugurado em dezembro de 1997, na Av. dos Expedicionários, Bairro Bela Vista, em Leopoldina. É a “Escola Municipal Judith Lintz Guedes Machado”.

Tive a felicidade de ser aluno de Da. Judith, entre 1950 e 1957, na cadeira de Português, do Colégio Leopoldinense. Suas aulas eram sempre ministradas na Sala-3. Impossível não recordar a ênfase que Da. Judith dava ao estudo da análise sintática. Os alunos tinham que aprender, ainda que a custo de muita repetição, a dissecar corretamente os termos essenciais de uma oração, os termos integrantes, acessórios, vocativo – tudo na ponta da língua.

Por isto e por muito mais, Da. Judith sempre esteve entre aqueles mestres “que fazem a diferença”. Se o Colégio Leopoldinense desfrutou de prestígio e fama nos meios educacionais do Estado e do País, foi por obra criativa, conjunta, de professores bem preparados e dedicados, como Da. Judith Lintz. Ninguém aprende a escrever ou a interpretar textos, sem boas noções de análise sintática.

Da. Judith, a par da meiguice e do cuidado quase que maternal com seus alunos, sabia ensinar e sabia, principalmente, priorizar o que era mais importante para a educação deles.
₪₪₪₪₪₪₪₪₪₪₪

Nota: Agradecemos os dados utilizados nesta pesquisa às filhas do Professor Machado, Therezinha Lintz Guedes Machado, professora de matemática, e ex-funcionária da ONU em Genebra, Suiça; e Maria Aparecida Lintz Machado Silva, professora de português - ambas aposentadas e residentes em Leopoldina.
Agradecemos ainda à amiga e Acadêmica da ALLA – Academia Leopoldinense de Letras, professora Natânia Nogueira, os dados a nós confiados em sua página: www.historiadoensino.blogspot.com

₪₪₪₪₪₪₪₪₪₪₪

3 comentários:

  1. Realmente uma educadora de qualidade. Sabia como transmitir o conhecimento. Suas filhas Cidinha e Terezinha de quem também fui aluno no Ginásio herdaram esta qualidade da mãe.Estudei no ginásio de 1966 a 1972.Hoje vivo em Salvador-B.a

    ResponderExcluir
  2. Felipe Augusto Tedeschi Lintz5 de setembro de 2011 16:19

    Essa pesquisa na internet me rendeu o achado de um parente,essa dona Judith Lintz que foi professora é uma das filhas de meu tataravô que se chamava Martiliano Souza LIntz,que foi um grande e conhecido advogado-criminalista de Minas Gerais,terra em que meu avô neto do Martiliano,que nasceu mais precisamente em Vista Alegre próximo a Leopoldina.

    ResponderExcluir
  3. Parente meu também pelas historias que minha mãe Maria Aparecida Lintz contava;e com carinho observo a semelhança dela com a senhora Judith Lintz...

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.