Total de visualizações de página

segunda-feira, 21 de junho de 2010

Eloy Rodrigues Neto


***
Foto
: Eloy, vereador, na tribuna da Câmara Municipal.


(Estas notas biográficas foram feitas para publicação no LEOPOLDINENSE de 30.04.2007)

O LEOPOLDINENSE registra, com pesar, o falecimento do amigo e concidadão muito querido, Eloy Rodrigues Neto, ocorrido às 11:40h da manhã de terça-feira, 17 de abril de 2007 corrente, no Hospital Monte Sinai, em Juiz de Fora.

Eloy, que completaria 73 anos a 7 de junho próximo, fora internado poucos dias antes em decorrência de complicações decorrentes do Mal de Parkinson, após uma queda no interior de sua residência, nesta cidade. O sepultamento se deu às 9:00h do dia 18, no cemitério de Leopoldina.

Leopoldinense muito estimado por todos, Eloy nasceu na “Boa Sorte”, filho de Olyntho Gonçalves Netto e de Mariana Rodrigues Netto. Era neto de Elisa Martins Neto e João Ventura Gonçalves Neto, que foi Juiz de Paz em Leopoldina e um dos administradores da “Colônia Constança”, nas primeiras décadas do Século XX.

Mauro de Almeida Pereira, em seu livro “Os Almeidas, os Britos e os Netos em Leopoldina”, na página 25, registra que João Ventura Gonçalves Neto era filho de Pedro Gonçalves Neto e Maximiana Ferreira de Almeida e seus avós paternos foram João Gonçalves Neto e Mariana Flauzina de Almeida, filha do lendário Manoel Antônio de Almeida, um dos primeiros proprietários da Região da Mata onde depois apareceria o Arraial do Feijão Cru.

Por parte de João Rodrigues Ferreira Brito, seu avô materno, também descendia dos primeiros povoadores de Leopoldina. Na sua ascendência, no século XVII, pode-se chegar a João de Almeida, natural da Freguesia do Espírito Santo de Óbidos, Lisboa, Portugal e a Francisco de Oliveira Braga, outro desbravador português.

A avó de Eloy, Elisa Martins, era filha de João Rodrigues Martins e Teresa Vargas, também de família de fundadores de Leopoldina.

Desde muito jovem Eloy trabalhou no comércio, vindo a dirigir uma empresa de prestação de serviços de assessoria a prefeituras do Estado de Minas Gerais.

Na vida pública, elegeu-se vereador por mais de uma legislatura. Foi Secretário da Prefeitura Municipal de Leopoldina, com notável atuação administrativa por vários anos.

Disputou eleição majoritária para Vice-Prefeito em 1982 e, para Prefeito, em 1988. Como vice, compôs chapa com Dalmo Pires Bastos, numa eleição vencida pelo Dr. Joaquim Furtado Pinto. Como candidato a Prefeito, Eloy contou com o estimado farmacêutico Jair Lacerda como seu vice, mas a eleição foi vencida pelo também farmacêutico, Osmar Lacerda França.

Eloy foi homem de muitas lutas, trabalhador incansável, homem de invulgar seriedade, religioso e pai dedicado de uma grande e maravilhosa prole. Era casado com Maura do Vale Neto, natural de Itamaraty de Minas (MG), falecida em 03.09.2005.

Deixa os filhos, Elomar do Vale Neto Santos, casada com Pedro dos Santos Sobrinho, que lhe deu os netos, Talita e Gabriel; Maria do Carmo Vale Neto Machado, casada com José Geraldo Almeida Machado, que lhe deu os netos, Lívia e Rafaela; Eloy do Vale Neto, casado com Erlane F. Reis Neto, que lhe deu os netos, Lis, Ígor e Lina; Antonio Augusto Vale Neto, casado com Patrícia C. Brito Neto, que lhe deu os netos, Bruno e Mariana; Humberto do Vale Neto, casado com Patrícia M. C. F. Neto, que lhe deu os netos, Luísa, Sofia e Sávio; Marcelo do Vale Neto, casado com Iara Pussente C. Neto, que lhe deu os netos, Lara e Pedro; Luciano do Vale Neto, casado com Roberta de O. Fajardo Neto, que lhe deu os netos, Raíssa, Bernardo e Thúlio.

Leopoldina perde um de seus cidadãos mais queridos e exemplares.
₪₪₪₪₪₪₪₪₪₪₪

Um comentário:

  1. Eu estava procurando o blog da Mariana Brito Neto e o site de busca me retornou este texto. Foi muito emocionante principalmente neste mês em que ele completaria 76 anos de idade. Nós, seus filhos,saudosos, nos orgulhamos do nosso pai e procuramos a cada dia exercitar os bons exemplos que ele nos deixou.

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.